• +351 965 063 725
  • geral@pintodesa.pt

Arquivo mensal 24 Fevereiro, 2017

Educação, IRS, Deduções

IRS Educação – As despesas de alimentação entram?

Não aparecem as refeições da escola no e-Fatura? Não se preocupe. Sim, este ano entram mas, em muitos casos, só se as incluir manualmente quando preencher o IRS.

No ano passado houve uma grande injustiça. As despesas de alimentação nas escolas não foram deduzidas no IRS. Mas, para quem tinha os filhos numa escola privada, como a fatura mensal abrangia a alimentação e estava incluída no bolo de Educação, tudo entrava como dedução. Quem tinha os filhos numa escola pública, onde a alimentação era fornecida por uma empresa externa (com IVA a 23%), não podia deduzir como despesa de Educação.

 

Entrou ontem em vigor

Entrou ontem em vigor a lei que vem corrigir esta situação. Mas tem de ser o contribuinte a fazer pela vida. Não é automático. Por isso aprendam e partilhem o mais possível porque têm de ser os pais a incluir os valores que correspondem à alimentação num quadro específico no Modelo 3 do IRS.

A lei foi publicada esta quarta-feira em Diário da República e entrou em vigor um dia depois (ontem). Tem o link para a lei aqui.

Em resumo, a lei diz que passam a “ser aceites como despesas de educação, as despesas com refeições escolares, desde que as faturas que titulem as prestações de serviços que são comunicadas à Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) se refiram a refeições escolares e que o número de identificação fiscal seja de um prestador de serviços de fornecimento de refeições escolares”.

A lei aplica-se às refeições EM REFEITÓRIO ESCOLAR, independentemente de quem presta o serviço e o respectivo IVA. Não inclui refeições fora do recinto escolar.

Os sujeitos passivos “devem exclusivamente declarar o valor das mesmas na respetiva declaração de rendimentos modelo 3, através do anexo H”.

Em termos práticos, quando abrir o IRS no Portal das Finanças vai ter valores pré-preenchidos. Se as refeições escolares não estiverem lá contempladas, apaga o valor e substitui pelo valor pré-preenchido MAIS o valor das refeições dos filhos na escola no Quadro 6C. Haverá uma linha específica para isso.

E assim não perde dinheiro, aumenta o seu reembolso ou paga menos IRS.

 

Se já tem 800 € em Educação no e-fatura não precisa fazer nada

Atenção que o limite máximo da dedução em Educação é de 800 euros. Portanto, se o valor que lá tiver como dedução em Educação já ultrapassa esse número não precisa dar-se a esse trabalho (embora o possa fazer, claro). Mas não vai mudar nada nas suas contas perante a AT.

Se não incluir este valor manualmente vai perder esse dinheiro. A AT não vai acrescentar automaticamente.

Parece complicado, mas é simples. Por enquanto, o importante é garantirem que têm na vossa posse uma declaração da escola com esses valores. Terão de guardar esse documento durante 4 anos.

 

 

 

 

Fonte: Contas Poupança

 

Contabilista em Gaia, Valadares, Portugal.

Despesas em falta no e-Fatura disponíveis até dia 28 no Portal das Finanças

Questionado pela agência Lusa sobre quando vão estar disponíveis as despesas que os contribuintes fizeram com habitação, propinas, taxas moderadoras, rendas e juros relativos a imóveis, o Ministério das Finanças disse que estes valores "não são comunicados no e-Fatura, sendo os respetivos valores posteriormente apresentados pela Autoridade Tributária (AT) no Portal das Finanças, até ao final do mês de fevereiro".

Entre as despesas que deverão então ser apresentadas no Portal das Finanças até dia 28 estão os valores pagos a entidades que têm, segundo o Código do Imposto sobre o Rendimento de pessoas Singulares (IRS), até ao final de janeiro para os comunicar à AT.

Os estabelecimentos públicos de ensino e de saúde, os bancos e seguradoras devem comunicar à Autoridade Tributária e Aduaneira o valor dos encargos até ao final do mês de janeiro do ano seguinte àquele em que ocorreu a despesa.

No caso das rendas, os senhorios que não emitiram recibos eletrónicos mensalmente (por estarem dispensados dessa obrigação por terem mais de 65 anos ou terem rendimentos abaixo de 842,64 euros) tiveram até ao final de janeiro para entregar em papel ou pela internet a declaração anual às finanças.

 

 

 

Fonte: Notícias ao Minuto

Contabilista em Gaia, Valadares

VÍDEO – As novidades do IRS 2017

Este ano há muitas novidades no IRS e algumas vão atingir mais de um milhão de contribuintes.

Há o IRS automático. Há novos prazos de entrega. Há forma de corrigir as injustiças do ano passado com pais divorciados com guarda conjunta e pode acrescentar as despesas de alimentação em Educação.

Pode encontrar estas e outras respostas na reportagem desta semana do Contas-poupança. Pode revê-la aqui:

Contabilista Gaia IRS 2017 Poupança

Clique na imagem para assistir ao vídeo

 

Bom IRS. Esperemos que este ano seja mais calmo que no ano passado.

 

 

 

Fonte: Contas Poupança

 

Contabilista em Gaia Irs 2016 2017 preço

Tudo sobre o IRS 2016/2017

Ainda tem dúvidas quanto ao preenchimento do IRS?

A Autoridade Tributária partilhou no seu portal um documento que esclarece todas as suas dúvidas relativamente à entrega do IRS do ano transato.

Clique aqui para consultá-lo.

 

 

 

 

 

Contabilista em Gaia, IRS automático 2017

Cuidados a ter no IRS de 2017

Cerca de 1 milhão de contribuintes vão ter “IRS automático”. Ou seja, quando abrirem o Portal das Finanças para preencher o IRS vão receber uma mensagem a dizer “Já está tudo preenchido. Vai receber este valor ou vai pagar isto. Aceita?”.

IRS AUTOMÁTICO

Dito assim, parece preocupante, mas respire fundo. Só aceita se quiser. Se verificar que os valores estão todos bem e as despesas correspondem à realidade é só dizer “Sim” e tem o IRS entregue e, provavelmente, vai receber mais rápido o reembolso.

Isto só se aplica às Declarações de IRS simples, em que o sujeito passivo só tem uma fonte de rendimento (seja de uma empresa ou pensão) e que não tenha dependentes (não tem em casa filhos nem pais idosos).

Não tem de se preocupar em saber se o seu IRS vai ser automático ou não. A partir de 1 de Abril, se preencher todos os requisitos, a opção aparece automaticamente assim que abrir o computador. Não tem de pedir nem de se inscrever em lado nenhum. Se a opção não aparecer, é porque não se aplica ao seu caso. Simples. Basta que não concorde com um valor apresentado, clica em “Não” e preenche o IRS como sempre fez até aqui.

 

PRAZO IGUAL PARA TODOS

A segunda novidade é que este ano o prazo é igual para todos. Deixa de haver primeira e segunda fase. Isto é bom porque assim, mesmo que um membro do casal passe recibos verdes ou tenha casas arrendadas, pode simular logo em abril se compensa entregar em conjunto ou em separado e entregar um mês antes e, logo, receber o reembolso mais cedo.

Atenção a esta opção. Se um ganha mais do que o outro, vale quase sempre a pena entregar em conjunto. Se ganham os dois o mesmo, pode valer a pena entregar em separado. Tem de simular as duas situações para escolher a que mais os beneficia em termos financeiros.

 

VÁ AO E-FATURA ATÉ DIA 15

Posto isto, tem de garantir o mais rapidamente possível que tem o maior valor possível em deduções. Vá ao e-fatura até 15 de fevereiro e confirme que não tem nenhuma fatura pendente (e o seu cônjuge e filhos também) e se estão nas categorias certas. Se não o fizer, pode estar a perder até 750 euros.

 

ONDE ESTÃO AS FATURAS QUE FALTAM

Algumas pessoas perguntam-me onde estão as faturas das Taxas Moderadoras, Hospitais e Centros de Saúde, seguros de saúde, escolas, rendas e juros do banco, etc. A resposta é simples: não é suposto aparecerem no e-Fatura. Só vão aparecer em Março numa outra página chamada “Deduções à coleta”. Se as que faltam não estiverem aí é que deve preocupar-se.

 

E SE TIVER VALORES ERRADOS?

Mais uma vez não se preocupe demasiado. Quando preencher o Modelo 3 do IRS vai poder inserir os valores que considerar corretos, mesmo que não apareçam em nenhuma página.

Por exemplo, vai poder acrescentar o que os seus filhos gastaram em alimentação na escola na linha "Educação" num campo próprio no anexo H no quadro 6C. O mesmo para as despesas de saúde com piscinas e ginásio desde que tenha uma Declaração médica.

Se der por falta dos juros do Crédito à Habitação lembre-se que só entram no IRS para quem comprou casa até 31 de Dezembro de 2011. Se comprou um dia depois, esqueça essa dedução. E tem de ser a casa onde tem a sua morada fiscal. Casa de férias ou outras não contam.

 

PAIS DIVORCIADOS

Este ano vai ser corrigida uma injustiça para muitos pais divorciados. Quando tinham guarda conjunta, as Finanças só davam direito à dedução específica por filho a quem tinha a criança na mesma morada fiscal do sujeito passivo, mesmo que a criança passasse 15 dias na casa de cada um dos pais. Este ano isso foi corrigido. Cada filho dá direito a 600 € de dedução automática – 300 € para cada um.

 

DEDUÇÕES NÃO SÃO REEMBOLSO

Um último alerta. O valor que aparece em cima no seu e-Fatura NÃO É o que vai receber de reembolso de IRS. Explicado de uma forma muito simples, é o valor que vai ser descontado no imposto que pagou a mais ao longo do ano no seu ordenado todos os meses. Ou seja, até pode ter lá 5 mil euros que, se não descontou para o IRS na retenção na fonte, vai receber zero. É bom que as pessoas percebam que Dedução é apenas um desconto e não uma garantia de reembolso. Se desconta para o IRS, convém que esse valor seja o mais alto possível.

O IRS é, para muitas famílias, uma espécie de abono anual que serve para pagar despesas grandes ou imprevistas. Apesar destas dicas, preencher o IRS é ainda um “bicho de 7 cabeças” para muitas pessoas. Se para si é complicado, aceite esta sugestão: perca o amor a 20 ou 30 euros e peça a um contabilista competente para fazer o seu IRS. Um erro por ignorância ou distração pode custar-lhe dezenas ou mesmo centenas de euros e depois pode ser difícil corrigir. Se tem dúvidas, jogue pelo seguro. O seu dinheiro é um assunto sério.

 

 

 

 

Fonte: E-konomista

Contabilista em Gaia, IRS, Deduções

Deduções: 10 formas de poupar no IRS

O prazo para validar e registar as despesas dedutíveis no IRS relativo ao ano de 2016 termina a 15 de fevereiro. Aqui estão as deduções e os limites que deve ter em conta:

IVA nos bens e serviços

Dedução de 15% do IVA suportado em despesas com serviços de reparação e manutenção de veículos e motociclos, alojamento e restauração, cabeleireiros, estética e veterinários. Esta dedução está limitada a 250 euros por agregado.

 

Despesas de educação

Dedução de 30% das despesas com educação e formação por cada elemento do agregado familiar, até um limite de 800 euros. Inclui, entre outras, as mensalidades, propinas, livros e manuais escolares, sempre que os gastos estejam suportado por faturas no NIF.

 

Refeições e transporte escolar

As despesas com refeições escolares e com transporte escolar também são dedutíveis como despesas de educação. Para que isto seja possível, têm que ser registadas pelo contribuinte como despesas de educação no e-fatura.

 

Despesas de saúde

Dedução de 15% das despesas de saúde por cada elemento do agregado familiar, até 1000 euros. Inclui despesas com seguros de saúde, consultas e exames, medicamentos e despesas com produtos médicos e ortopédicos. Inclui também bens ou serviços sujeitos à taxa normal de IVA, desde que suportados por receita médica.

 

Encargos com imóveis

Dedução de 15% dos juros de empréstimos para habitação própria e permanente para contratos de empréstimo celebrados até 31 de dezembro de 2011, com limite de 296 euros, bem como, dedução de 15% das rendas de imóveis para habitação permanente para contratos ao abrigo de regimes específicos de arrendamento urbano), com limite de 5023 euros. Estes limites são aumentados para os escalões de rendimento inferiores a 30 000 euros.

 

Planos Poupança Reforma e “PPR do Estado”

Dedução de 20% das quantias aplicadas. No caso dos certificados de reforma do estado o limite é de 350 euros ou 700 euros por casal. No caso do PPR, o limite varia entre 300 e 400 euros, em função da idade.

 

Lares e pensões de alimentos

Dedução até 25% das despesas com lares e com apoio domiciliário isentas de IVA ou sujeitas à taxa reduzida, no valor máximo de 403,75 euros. Dedução, sem limite máximo, de 20% dos gastos com pensões de alimentos.

 

Despesas gerais familiares

Dedução de 35% das restantes despesas suportadas por qualquer membro do agregado familiar, desde que suportadas com fatura com número de contribuinte. Inclui despesas enquadráveis em qualquer setor de atividade. Exemplo: supermercados, vestuário, eletrodomésticos, serviços de construção, combustíveis, eletricidade, água ou comunicações e tem um limite de 250 euros por cada sujeito passivo. Famílias monoparentais deduzem 45% das despesas, até ao limite de 335 euros.

 

Limitação global à dedução de despesas

A soma das várias deduções tem limites globais (com exceção das despesas gerais familiares), para os rendimentos coletáveis acima dos 7035 euros. Para rendimentos acima dos 80 000 euros, o limite global é de 1000 euros.

 

Afetação das despesas à atividade empresarial ou profissional

Empresários em nome individual ou profissionais liberais devem proceder à afetação das despesas no âmbito das respetivas atividades no e-fatura. As pessoas singulares que sejam sujeitos passivos de IVA apenas beneficiam das deduções, quando estas são relativas a faturas de aquisições realizadas fora do âmbito da atividade empresarial/profissional.

 

 

 

Fonte: Dinheiro Vivo

Contabilista em Gaia. e-Fatura, IRS.

e-Fatura – Última Chamada!

Prazo de correção das faturas termina a 15 de fevereiro.

Convém recordar que as faturas de dezembro com o vosso NIF só entraram no e-Fatura após o dia 25 de janeiro.

Ou seja, se foram lá em dezembro e acharam que já ficavam despachados porque era o fim do ano, enganam-se. Se for agora ao seu e-Fatura, certamente terá faturas pendentes  relativas a dezembro.

Contabilista em Gaia. e-Fatura, IRS.

Os comerciantes tinham sempre até dia 25 do mês seguinte para enviar as faturas com NIF para a AT. A partir de janeiro de 2017 esse prazo passa a ser até dia 20.

Portanto, só agora é que as de dezembro estão a entrar no vosso e-fatura. Têm até 15 de fevereiro para corrigir todas. Depois disso (se o governo não prorrogar o prazo como às vezes acontece), as contas ficam fechadas e todas as vossas faturas “pendentes” passam a Despesas Gerais Familiares, mesmo que sejam de Educação, Saúde, Oficinas, Restaurantes, Veterinários, Cabeleireiros, etc. Por outras palavras, perdem dinheiro em deduções no IRS, que está aí à porta.

Corrigi-las é simples. Basta clicar nos desenhos correspondentes e, se passam recibos verdes e querem que entrem no vosso IRS em vez de na empresa, clicam em SIM na pergunta “Fora do âmbito profissional?”.

Contabilista em Gaia. Faturas pendentes no e-Fatura, IRS.

Estes pormenores podem fazer muita diferença no valor do reembolso ou no valor a pagar de IRS.

Isto só se aplica a quem desconta para o IRS no seu vencimento mensal.

 

 

 

Fonte: Contas Poupança