• +351 965 063 725
  • geral@pintodesa.pt

Arquivo de etiquetas IRS

Contabilista em Gaia. e-Fatura, IRS.

e-Fatura – Última Chamada!

Prazo de correção das faturas termina a 15 de fevereiro.

Convém recordar que as faturas de dezembro com o vosso NIF só entraram no e-Fatura após o dia 25 de janeiro.

Ou seja, se foram lá em dezembro e acharam que já ficavam despachados porque era o fim do ano, enganam-se. Se for agora ao seu e-Fatura, certamente terá faturas pendentes  relativas a dezembro.

Contabilista em Gaia. e-Fatura, IRS.

Os comerciantes tinham sempre até dia 25 do mês seguinte para enviar as faturas com NIF para a AT. A partir de janeiro de 2017 esse prazo passa a ser até dia 20.

Portanto, só agora é que as de dezembro estão a entrar no vosso e-fatura. Têm até 15 de fevereiro para corrigir todas. Depois disso (se o governo não prorrogar o prazo como às vezes acontece), as contas ficam fechadas e todas as vossas faturas “pendentes” passam a Despesas Gerais Familiares, mesmo que sejam de Educação, Saúde, Oficinas, Restaurantes, Veterinários, Cabeleireiros, etc. Por outras palavras, perdem dinheiro em deduções no IRS, que está aí à porta.

Corrigi-las é simples. Basta clicar nos desenhos correspondentes e, se passam recibos verdes e querem que entrem no vosso IRS em vez de na empresa, clicam em SIM na pergunta “Fora do âmbito profissional?”.

Contabilista em Gaia. Faturas pendentes no e-Fatura, IRS.

Estes pormenores podem fazer muita diferença no valor do reembolso ou no valor a pagar de IRS.

Isto só se aplica a quem desconta para o IRS no seu vencimento mensal.

 

 

 

Fonte: Contas Poupança

Educação, IRS, Deduções

Despesas de Educação no IRS 2017

Saiba quais as despesas de educação que pode declarar no IRS 2017.

Apesar da sua versão inicial não contemplar alterações na dedução das despesas de educação no IRS 2017, a Lei do Orçamento de Estado para 2017 (OE 2017), que entrou em vigor no primeiro dia do ano, entretanto publicada, veio esclarecer que o documento vai mesmo alterar a forma como estas despesas podem ser deduzidas. Relembramos que a dedução de despesas de formação e educação está preconizada legalmente no artigo 78.º D do Código do IRS (CIRS)

 

DESPESAS DE EDUCAÇÃO NO IRS 2017 – O QUE SE ALTERA COM O OE 2017?

No âmbito das despesas de formação e educação, o OE 2017 é elucidativo e confirma que passam a ser consideradas para efeitos de dedução à coleta as despesas com refeições escolares, desde que tenham a respetiva fatura de alimentação em refeitório escolar, sejam comunicadas à Autoridade Tributária e Aduaneira – AT e o respetivo NIF corresponda a um prestador de serviços de fornecimento de refeições escolares, “independentemente da empresa que prestou o serviço e da taxa do IVA aplicada”, em termos a definir pelo Governo em portaria a publicar.

Assim, as despesas de educação referentes a alimentação em refeitório escolar passam a ser aceites para dedução à coleta do IRS 2017 (referente ao ano fiscal de 2016), ou seja, esta mudança tem efeitos retroativos, por isso os gastos realizados no ano transato podem ser usados como despesa de educação no IRS 2017. Até aqui as refeições escolares não podiam ser abatidas porque apenas eram consideradas, para efeitos de deduções à coleta de despesas de educação, as despesas escolares isentas de IVA ou sujeitas à taxa reduzida (6%), o que nem sempre acontecia com as refeições escolares.

Deste modo, os contribuintes devem indicar no Portal das Finanças quais as faturas que se referem à aquisição de refeições escolares.

 

DEDUÇÕES À COLETA DE DESPESAS DE EDUCAÇÃO NO IRS 2017 

As despesas de educação e formação profissional têm previstas uma dedução de 30% das despesas com um limite de 800€.
Além das despesas com refeições escolares, continuam a ser dedutíveis despesas com manuais e livros escolares, pagamento de creches, jardins-de-infância, escolas, entre outros.

 

 

 

 

 

Fonte: E-konomista

Contabilista em Valadares, Gaia

Datas importantes do IRS em 2017

As datas do IRS em 2017 são diferentes daquelas a que estava habituado, não as deixe passar.

Validar faturas

O prazo para validar faturas termina a 15 de fevereiro. À semelhança do ano anterior, em 2017 tem de utilizar o sistema e-fatura para ter direito a deduções no IRS de 2016.

 

Reclamar faturas

Depois de validar as suas faturas tem entre 1 e 15 de março para verificar possíveis erros no registo de despesas e para reclamar estas despesas no e-fatura.

 

Entrega de IRS

É a grande novidade na entrega do IRS em 2017: há um único prazo de entrega de IRS quer para os trabalhadores dependentes (categorias A e H), quer para os trabalhadores independentes (categoria B) e as restantes categorias de rendimentos.

Todos os contribuintes têm de entregar a declaração de IRS entre 1 de abril e 31 de maio, seja em papel ou pela internet.

Para alguns contribuintes esta entrega é feita automaticamente.

 

Devolução de IRS

A nível de reembolso do IRS não existem novidades: a devolução do IRS aos contribuintes é feita até dia 31 de julho, segundo o artigo 77º do Código do IRS. Quem entregou o IRS no início de abril ainda deve receber o reembolso antes do final do mesmo mês.

 

Pagamento de IRS

A nível do pagamento do IRS também não se registam alterações: o pagamento do IRS pelo contribuinte ao Estado deve ser realizado até 31 de agosto, sob pena de multa.

 

 

 

Fonte: Economias.pt